02 novembro 2014

REVIEW | The Collector, by John Fowels

E o mês de Outubro terminou e com ele terminaram também as leituras de horror... ou não!! Não só porque descobri que gostava muito deste género de leituras e, por isso, quero apostar mais em livros assim. Mas também porque ainda não terminei alguns livros de contos a que me tinha proposto dedicar.


Julgo que este terá sido o segundo livro que li, no âmbito deste projecto, para o mês do Halloween. Foi escolhido depois de ter visto algumas opiniões de diversos blogers e booktubers que costumo acompanhar. 

Esta é a ~ história ~  de um homem que vive apaixonado por uma estudante de arte, Miranda, mas de uma forma um pouco "platónica". Isto é, na verdade, Frederick Clegg, a nossa personagem principal. Nunca falou com aquela rapariga, apenas a ~ observa ~ na rua e em alguns dos locais que ela habitualmente frequenta. 


Frederick é um trabalhador da câmara, super tímido e tantas vezes ridicularizado pelos seus companheiros, por causa da sua grande paixão: ~ coleccionar borboletas ~ . Passa despercebido em qualquer local, até que um dia, descobre que é o vencedor da lotaria e... se torna um dos homens mais ricos. A primeira atitude que toma é despedir-se, deixando o seu local de trabalho e mudando-se para uma zona mais isolada, onde compra uma nova casa. Faz as mudanças e inicia a restauração e alteração do edifício.

Essa casa possui uma ampla cave que servirá na perfeição o seu grande propósito: raptar Miranda, uma mulher que ele considera diferente de todas as outras mulheres, que nada mais são do que vulgares e mundanas. É curioso analisar a imagem que ele tem dessa personagem, ao vê-la tão diferente das outras, tão especial, tão perfeita...

O certo é que ele acaba por raptar a rapariga e acaba por encarcerá-la naquelas paredes. Tenta fazê-la feliz, comprando-lhe tudo o que ela deseja, como quadros e livros de artes, as mais requintadas comidas, tudo. Todavia, como é óbvio, não será isso que a fará feliz nem a fará resignar-se à situação em que se encontra.

Ao longo da história assistimos às investidas dela, para tentar enganá-lo e dissuadi-lo a deixá-la fugir, os planos que engendra para tentar escapar e o desespero que se vai apoderando dela por se sentir asfixiada dentro daquelas paredes, que não vêm a luz natural ou sentem a brisa do vento. ~ Há partes do livro em que até eu me senti sufocada ~. E logo eu que detesto lugares fechados!


A primeira parte do livro é narrada pela personagem masculina. Aterrorizou-me, essencialmente, o facto de ele achar normal aquela paixão tão louca pela rapariga. O que a mim me parecia doença, a Frederick não passava de uma pequena fixação, completamente normal, pela imagem daquela mulher. Como leitores, temos acesso privilegiado a tudo o que lhe vai passando pela mente, ao desejo crescente de estar com ela - entenda-se literalmente o desejo de estar ao seu lado -, a delicadeza com que uma vez tocou em alguns fios do seu cabelo ou quando sentia pele com pele, e a sua mão tocava, ao de leve, na dela. Mas ele nunca se interrogou relativamente ao vício doentio.

No final do livro, voltamos à perspectiva desta personagem, para conhecermos o desfecho da história.

Na segunda parte, é Miranda que nos dá a conhecer o desenrolar dos factos. Aqui temos a possibilidade de conhecer um pouco mais sobre esta estudante universitária e a sua vida pessoal. Afinal, ela nada mais é do que uma rapariga normal... igual a tantas outras.

A escrita do autor é bastante simples mas cativante, o que agradou bastante. Li em inglês e é bastante acessível, por isso, é um livro que aconselho a quem se está a iniciar nas leituras nesta língua.


O desenrolar da narrativa e ligeiramente lento, mas delicioso. Ou seja, não é maçador, não há descrições desnecessárias. Há o narrar de acontecimentos passados que nos permitem conhecer um pouco mais aquelas duas pessoas que vivem naquela casa e que nos ajudam a compreender alguns dos seus comportamentos e desejos mais profundos. 

Como leitores sentimo-nos a ~ devorar o livro ~, com vontade do que vai acontecer no final. Para mim, não foi - infelizmente - um desfecho muito surpreendente mas provou-me que estava certa, que aquilo não mais é que uma doença que nunca terminará até que ele seja impedido de continuar a fazê-lo. E isso sim, aterroriza-me. Porque me dá imenso medo saber que há pessoas com este tipo de distúrbios no que mundo em que vivemos. Pessoas que parecem super normais mas que escondem mais do que aquilo que aparentam.

"It gave me a feeling of power, 
I don't know why."

Apesar de ter sido um livro escolhido para o meu desafio do horror, não é um livro de todo aterrorizador. Mas vale pelo terror psicológico das possíveis situações reais para as quais nos transporta.



Algumas das partes mais bonitas ~ ou macabras ~ do livro, incluem as comparações paralelísticas entre aquela rapariga encarcerada e as borboletas que ele costumava coleccionar. 

"He showed me one day what he called 
his killing-bottle. 
I'm imprisoned in it. Fluttering against the glass. 
Because I can see trough it. 
I still think I can escape. I have hope. 
But it's an illusion. A thick round wall of glass."


Um livro que toca as diferentes formas de arte e tantos temas a ela relacionados. Um livro que nos mostra, da forma mais cruel, a angústia de sabermos que, se calhar, não vamos sair daquela situação vivos e de vermos a nossa vida a correr.

"How I hate ignorance! Caliban's ignorance, 
my ignorance! Oh , I could learn and 
learn and learn and learn. 
I could cry, I want to learn so much!"



"I don't want to die because 
I keep on thinking of the future. 
I'm desperately curious to know 
what life will bring to me."

Aconselho, sem dúvida!


Título Original: The Collector
Autor: John Fowels
Editora: Pan Books
Data: 1965
Páginas: 288
Onde comprei: Awesome Books

Goodreads: aqui






6 comentários:

  1. Olá,
    Este livro parece ser bastante arrepiante, ideal para o Halloween.
    Talvez para o próximo ano o leia. Fiquei curiosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostei :) é bastante psicológico.. pelo menos, a mim, estas coisas fazem-me pensar e pensar :) aponta aí para a lista do próximo ano! :) **

      Eliminar
  2. Viva,

    Pena estar em inglês mas deve ser bem interessante :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh pah, por acaso pesquisei e acho que só há em Pt-Br... podes tentar ;) **

      Eliminar
  3. Fiquei mesmo com interesse em ler o livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom :) aponta aí para não esqueceres :p ** beijinhos

      Eliminar