25 dezembro 2015

Review | Just Breath, de Sílvia Pais


Título Original: Just Breath
Autor: Sílvia Rodrigues Pais
Editora: Chiado Editora
Data: 2015
Páginas: 638
ISBN9789895144037
Classificação Pessoal: 3 estrelas 
Goodreadsaqui
Assuntos abordados: Amor, adolescência, conflitos interiores


Emily Miller, uma rapariga doce, deixa família e amigos em Los Angeles e vai estudar para a Universidade de Yale. Conhece Liam Price, o típico bad boy dos tempos modernos, que vira a sua vida do avesso, obrigando-a a enfrentar os seus medos e a desenterrar fantasmas do passado.

Nova cidade, novos amigos, novas aventuras e novos amores se avizinham. Esta é uma história de luta contra demónios, de conflitos interiores, de vinganças, vitórias e derrotas. Conseguirá Emily finalmente ser feliz?



Foi com grande entusiasmo que aceitei o convite da autora para ler o seu primeiro livro, em troca de um parecer sincero no meu blogue/canal. Entretanto, com a parceria estabelecida com a Chiada Editora, acabei por pedir este livro, de forma a poder terminar a leitura e poder tê-lo na minha estante.


A sinopse agradou-me e, como já sabem, eu sou sempre a favor da leitura de novos escritores nacionais, pelo que não podia deixar passar esta sugestão de leitura em branco.

A nossa protagonista é uma menina que vai agora entrar para a Universidade, em Yale e, como podem imaginar, esta mudança traz também novas amizades e um mundo inteiro de coisas e experiências novas, fresquinhas, para um adolescente que se vê, pela primeira vez, longe da casa dos pais.

Não vou mentir, esta é uma história um tanto ou quanto ~ cliché ~. Não é a primeira vez que vemos uma menina bonitinha apaixonada pelo rapaz mauzão, que tem as miúdas todas que quer mas que se vai apaixonar perdidamente por aquele ar doce e gentil da menina que não falta às aulas e que teve um passado difícil. Emily é, no entanto, uma lufada de ar fresco neste cliché: apesar de meiga e responsável, gosta de se divertir e sair, é inteligente e consegue manter conversas com os colegas, é adulta <a vida assim a obrigou> e, apesar da historiazinha de paixão, consegue não ser lamechas e reconhecer que as miúdas que andam loucamente atrás do Liam,  não têm qualquer tipo de amor próprio.


E depressa nos apercebemos que a protagonista vive um drama interior qualquer, que lhe traz pesadelos todas as noites e a afasta de todos os relacionamentos, com medo de que a outra pessoa não compreenda o que aconteceu com ela e a deixe. Ok, tenho que confessar que livros com este tipo de mistérios me capta sempre a atenção e dou por mim a ler e a ler, só para saber que raio de segredo seria aquele.

Este não foi diferente. Não sou muito de histórias do gato e do rato, já li tanta coisa assim que me começa a chatear. Mas o facto de a Emily ter um segredo, fez com que continuasse sempre até ao capítulo seguinte e por aí em diante.


É claro que só conhecemos esse segredo já a poucas páginas do livro terminar. E sim, já me tinha passado pela cabeça ser aquele o demónio daquela menina. No entanto, como as personagens se envolveram, julguei que o caso fosse diferente e que estivéssemos perante algo de uma dimensão muito maior. Mas não, o segredo era aquele que inicialmente projectara e, para ser sincera, desiludiu-me um pouco. Na minha cabeça de leitora não fazia qualquer sentido que ela esperasse aquela reacção por parte do Liam e achei que 'a coisa' seria um pouco forçada. 

Também poderá ter sido pelo facto de, no meio de tantos livros que lemos, começamos a precisar que a leitura não só nos absorva mas que também nos surpreenda e acabamos por nos sentirmos desiludidos quando isso não acontece.














Mas há coisas boas aqui pelo meio!

Depois de desvendado o segredo, há um caminhar para o desfecho que eu não estava a contar, ou seja, um desenrolar de peripécias que me fez esbugalhar os olhos e ganhar um novo alento para as últimas páginas. E gostei dessa parte porque, de certa forma, me prendeu como leitora. O final fica em aberto e da-nos um piscar de olhos sobre o futuro daqueles dois. E aquilo promete!

Gostava também de referir que adorei a escrita da autora. Acho que foi um dos aspectos mais importantes deste livro. É super fluída e muito terra-a-terra, ou seja, facilmente se poderiam identificar a ter esta ou aquela conversa com um dos vossos amigos ou passar por esta ou aquela situação. E gosto muito disso.


Outro ponto a favor é o facto de termos, em diversos capítulos, a perspectiva da Emily e do Liam. É sempre bom sabermos o que vai na cabeça ~ e no coração ~ da outra pessoa.

E já vos disse o quanto adoro esta capa? Acho-a tão bonita!


No que respeita à edição do livro, adoro a capa, como já disse. O papel é amarelo e ligeiramente rugoso ~ ai, adoro! ~ mas com um tipo de letra um pouco maior do que o habitual, o que gera um maior número de páginas, no volume final da obra (tem 635 páginas!!). E esta parte já não foi tanto do meu agrado. Penso que um tipo de letra menor seria mais "confortável" à leitura. Não gosto mesmo de ver tanto papel em branco...


A Sílvia está de parabéns pelo seu trabalho. Acabei por dar três estrelas e não quatro pelas razões que vos apresentei nesta review. No entanto, é um livro que aconselho para quem gosta deste tipo de histórias - que não é bem, bem a minha praia - e que vale muito a pena pelo trabalho de escrita.

E sim, quero ler uma continuação e dar-lhe quatro estrelas.

2 comentários: