25 janeiro 2016

REVIEW | Hercule Poirot's Christmas


Título Original: Hercule Poirot's Christmas
Autor: Agatha Christie
Editora: Harper Collins
Data: 2001
Páginas: 355
ISBN9780007120697
Classificação Pessoal: 
Goodreads: aqui

Antes de começar quero dizer-vos que achei este livro fantástico! Adorei lê-lo nesta altura do Natal e acho que a parte de crime e mistério traz uma lufada de ar fresco às nossas leituras natalícias que, muitas das vezes, andam sempre à volta dos sentimentos mais usuais.

Um policial de Natal. Na noite de consoada, a família Lee está reunida. Subitamente ouve-se um enorme barulho de mobília que se parte. Segue-se um grito de agonia. No andar de cima, Simeon Lee, pai tirano, jaz morto, num lago de sangue, a garganta cortada. Chega o inspector Hercule Poirot para desvendar o caso e encontra uma família cheia de mútuas suspeitas.
Para ler nestes dias de frio e chuva, no aconchego da casa.


Este livro conta-nos a história de uma família ~ a família Lee ~, cujo patriarca já está bastante velho e, neste Natal, decide convidar os seus filhos e suas esposas para passarem a data com ele. 




Simeon Lee é um senhor já de certa idade, muito rico mas com uma personalidade muito vincada e nem sempre muito amigável. O convite que faz aos seus descendentes é visto com grande desconfiança mas todos acabam por comparecer, já que julgam tratar-se ~ muito provavelmente ~ do último Natal do pai, que já se encontrava bastante doente.

Esta família é um tanto ou quanto caricata e é composta por Alfred e sua esposa, que vivem com o velho Lee e aturam as suas manhas durante o ano todo, um filho mis jovem que saiu de casa ainda novo, para viajar e conhecer o mundo, um outro que odeia o pai devido à forma como ele tratava a mãe quando esta ainda era viva, um outro que tem um cargo no governo mas que vive em falcatruas e anda sempre à rasca de dinheiro e uma filha que fugiu com um artista espanhol, mas que acabou por falecer. 



E porque a senhora Agatha Christie nunca deixa a coisa fácil de desvendar, juntem a estes familiares, uma neta e um filho de um sócio do senhor Lee, de África do Sul, mais um número jeitoso de empregados que estava a trabalhar naquela casa, quando se deu o assassinato. É, a coisa não está fácil!



Quando todos estes elementos estão já hospedados, Simeon Lee convoca uma reunião onde faz uma revelação bom-bás-ti-ca: vai mudar o seu testamento ~ os filhos não são dignos de receber o que estava estipulado no documento inicial.

E eis que nos surge a dúvida: crime por dinheiro? vingança? roubo (já que ele tinha diamantes brutos no cofre)? ódio? Se forem como eu, a dúvida permanece quase até ao final. A história está de tal forma construída que é quase impossível desvendar o que aconteceu! Sinto-me sempre frustrada com os livros desta senhora porque (quase) nunca consigo descobrir o assassino.



Na dedicatória do seu livro, Agatha Christie promete ao seu cunhado uma história sangrenta, já que este se queixava que os seus romances estavam cada vez mais refinados. E é isso que o leitor pode esperar ~ um Natal vermelho da cor do sangue.


E, não se esqueçam, este post é realizado em colaboração com o:


2 comentários:

  1. Ora bem antes de mais, o que é aquela coisa branca com tão bom aspecto?
    As tuas fotos são sempre fixes! Adoro.
    Li esse livro há vários anos, e adorei, porque o fiz no Natal e achei-o bastante adequado e, como sempre, adorei claro!
    Beijinhos
    Roberta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também adorei o livro :) Aquela coisa branca deliciosa é um "snowball" e é basicamente feito de marshmallow e coberto com côco :) é tão, tão mas tão bom :)
      Beijinhos e obrigada por passares por cá*

      Eliminar