17 agosto 2016

REVIEW | Clube de Combate, Chuck Palahniuk


Título Original: Clube de Combate
Autor: Chuck Palahniuk
Editora: Marcador
Data: 2016
Páginas: 248
ISBN9789897541667
Classificação Pessoal: 
Goodreadsaqui


Primeiro pensamento quando me sento ao computador para escrever esta opinião:

Estou tramada. Como é que vou falar dum livro deste calibre??


Foi com enorme alegria que descobri que a Marcador (editora parceira aqui do blogue) ia editar esta obra, este ano, em Portugal. A verdade é que o livro já fora anteriormente publicado, no entanto, encontrava-se esgotado há séculos e era impossível encontrar um exemplar disponível para compra. Por isso, fiquei super contente quando a Marcador me enviou uma cópia para opinião. Obrigada <3

Vamos primeiro à sinopse, disponível no site da editora:


Antes demais, deixem-me dizer-vos que eu já tinha visto o filme, do David Fincher, baseado nesta obra. No entanto, é uma história tão macabra, tão bem construída, que senti logo curiosidade para ler o livro.

Então, nesta obra temos a história do nosso narrador que sofre de insónias e que trabalha numa companhia de seguros.  ~ E sim, não conhecemos o nome desta personagem, do início ao fim! ~ Depois de ir ao médico para tentar resolver a questão da dificuldade em dormir, o médico recusa-se a receitar-lhe comprimidos e sugere que visite um grupo em que diversas pessoas com cancro ou outras doenças mais graves, falem da sua experiência. 


O certo é que estas sessões começam a resultar e ele rapidamente começa a procurar outros grupos, onde se faz passar por um doente diferente. É num desses grupos que ele conhece Marla, uma mulher que também vai ser essencial no desenrolar da história.

Numa das suas viagens de negócios, o narrador vai sentar-se ao lado de Tyler e começam a conversar. Mais tarde, ao regressar a casa e verificar que o apartamento tinha sofrido uma explosão, ele recorre a Tyler e encontra-se com o mesmo num bar, ao que este o convida para ficar alguns dias em sua casa. Já fora do bar, Tyler pede ao narrador que lhe dê um soco com toda a sua força e este obedece-lhe. É uma das partes de que mais gostei no livro. As lutas começam a partir daí e rapidamente passam para uma cave e a atrair mais pessoas. 



E é assim que nasce o Fight Club. E isto é apenas o começo, o livro e toda a ideologia que o envolve, vai muito para além destas simples linhas que escrevi. Um homem comum a tantos outros, que tentou fazer tudo para corresponder à imagem que os seus pais e toda uma sociedade tinham para si, sem o conseguir. 

O facto de nunca atingir essa superação, vai fazer com que se sinta infeliz, deslocado do seu mundo e completamente perdido. Mas Tyler é tudo aquilo que falta ao nosso narrador e será crucial no percurso que este agora inicia, será como uma espécie de mentor.


Podem esperar um livro com uma linguagem crua, directa e com palavrões. Não há nada que seja dito de forma suave, há violência e ironia em abundância. A forma como grande parte da história é escrita também é bastante peculiar: os pensamentos fluem e ora estamos a ler sobre isto, como de seguida o narrador se lembra de outra coisa e engata no fio de pensamento. Mas isso é bastante realista, não acham? Quantas vezes é que isso nos acontece no quotidiano? A mim, algumas :)


E as personagens? Nem vou falar da construção das personagens e vocês, se lerem, perceberão a razão. Sólidas e bem construídas, congruentes com essa caracterização do início ao fim do livro.



Gostei da parte do negócio do narrador e do Tyler, fantástico! e que não é nada mais, nada menos do que "grandes sacos vermelhos de gordura de lipoaspiração, que vamos levar para a Paper Street e derreter, misturar com soda cáustica e alfazema, e vender às mesmas pessoas que pagaram para que lhes sugassem aquela gordura" (pág. 165).  Muito bom mesmo!



Olhem a quantidade de marcações que fiz!!!

E eu queria dizer-vos muitas mais coisas sobre esta obra, mas não consigo. Demorei semanas para escrever estas linhas e sinto que não fazem jus à dimensão da mesma e ao quanto ela me fez reflectir sobre determinadas coisas da vida. Não é um livro qualquer, é um livro para a vida, sem sombra de dúvidas, e que vou querer reler uma e outra vez.

Não só vos recomendo como vos digo que vos vai marcar, como leitores e como pessoas, para sempre. Tenho a certeza que não se arrependerão!

8 comentários:

  1. Adoro o filme! O livro deve ser ainda melhor, de certeza!

    http://gestoolharesorriso.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O livro está brutal :) tens mesmo de ler! A sério.. vou andar a dizer isto a minha vida toda, a toda a gente :)
      beijinhos

      Eliminar
  2. Adorei a review e já adicionei o livro à wishlist :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. weeeeee vale bem a pena.. é simplesmente brutal, este livro :) espero que gostes, e depois anda aqui discutir comigo :)
      beijinhos grandesssss

      Eliminar
  3. Post fantástico!
    Adoramos as fotos!!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? oh <3 obrigada pelas vossas palavras e por me terem disponibilizado o livro :) obrigada!!

      Eliminar
  4. O filme conheço-o de trás para a frente mas o livro nunca li...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De certa forma, acho que no filme não é tão perceptível a relação entre as duas personagens masculinas.. no livro vai-se percebendo mais o que está a acontecer. Mas adorei o livro.. e o filme! E agora há uma graphic novel fight club 2... i need it :)

      Eliminar