31 dezembro 2016

REVIEW | Letras Escarlates, Anne Bishop


Título: Letras Escarlates
Autor: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência
Data desta edição: 2015
Páginas: 510
ISBN: 9789896377397
Classificação Pessoal: 
Goodreads: aqui
Temáticas: 



Este foi a minha estreia com a autora e, digo-vos já, fiquei fascinada, não só pela sua escrita, como pela imaginação e criatividade.


Este livro traz-nos a história de convivência (ou não!) entre os humanos e os Outros, seres sobrenaturais que dominam Namid. Aqui, os humanos não são mais do que mera carne para estes seres e, à mínima falha, viram as suas presas. No entanto, apesar de os Outros serem reconhecidamente mais fortes, a sua relação mantém-se num certo equilíbrio, com o reconhecimento de que ambas as partes possuem bens necessários, uma à outra: os Outros possuem água e terra; os humanos, tecnologia. 


Logo no início da história entramos no Pátio de Lakeside, com Meg, uma fugitiva que vem procurar refúgio por aqueles sítios e que vai acabar por modificar a relação entre os seres humanos e os Outros (uma diversidade enorme de metamorfos: ursos, lobos, corvos, falcões, coiotes, ...). Lakeside é um espaço de convivência entre eles e é gerido por Simon que acaba por contratar Meg como Intermediária (um posto que consiste basicamente em trabalhar com a distribuição de correspondência e encomendas), apesar de se aperceber de que Meg é diferente dos restantes humanos que já conheceu.

Lakeside é regido por regras bem definidas, num sistema social e político muito bem descrito pela autora. Tudo é apresentado de forma consistente, não há pontas soltas, o que me agradou bastante.

À medida que o tempo vai passando, Meg começa a realizar o trabalho como nunca ninguém antes o havia feito e vai sendo acarinhada por todos os habitantes e pelos humanos que diariamente entregam encomendas para serem distribuídas naquela região. Gostei bastante da forma como a autora conseguiu transmitir esse carinho entre Meg e todos eles, um carinho que também acaba por ser partilhado por nós, leitores, que acompanhamos a descoberta do mundo por esta rapariga, que viveu tanto tempo encarcerada. Meg é curiosa e muito observadora, ao mesmo tempo doce e receosa, em determinadas situações - bastante compreensível, já que está a descobrir o mundo pela primeira vez.


É Meg quem vai desvendar algumas profecias do que está para acontecer àqueles metamorfos. Mas será que ela vai conseguir protegê-los de tudo o que de mal está para vir? Isso já terão que descobrir por vocês 😏 .


As personagens estão muito bem concebidas e caracterizadas, mesmo de forma indirecta, através das suas acções e pensamentos. Por exemplo, adorei o facto de não termos aqui a imagem do lobo fofinho; temos um lobo com sentimento, sim, mas que mantém a parte da fera e o seu instinto animal, que olha para um humano com os olhos de presa e que o vê como alimento. Simon mantém sempre a posição de alfa e está sempre à frente das decisões em prole da sua comunidade. Gostei muito da relação que se foi criando entre Meg e Sam, uma personagem enternecedora e cativante que Meg acaba por transformar.


No que respeita a Tess, está envolta em mistério e o final do livro deixa-nos ansiosos por explorar o que aí vem a seguir. Adorei as Elementais e o seu papel na história, assim como os Póneis, especialmente no episódio em que eles resmungaram por não haver mais açúcar e tentam passar uns à frente dos outros, na fila, para conseguirem a sua recompensa. Asia é a vilã da nossa história e, como boa vilã, é interesseira, manipuladora e falsa. Embora pouco explorada, esta personagem está também muito bem construída.

E o romance? Apesar de haver ali uma relação muito próxima entre duas personagens, não há nada de muito específico. É tão bom encontrar um história em que o romance não seja a preocupação principal do autor!



É impossível não gostar deste mundo. Tudo tão bem construído e fundamentado, criações de personagens incríveis, situações, espaços... tudo! Só vos posso dizer: que imaginação! E que mestria, na hora de passar tudo para o papel! Este é, sem dúvida, um dos melhores livros de fantasia que li este ano e vai entrar para os meus favoritos de sempre. 

4 comentários:

  1. Olá Mary!

    Anne Bishop é, para mim, uma das escritoras-modelo no mundo da Fantasia. Ela tem uma mente do caraças... ainda não li nada que não gostasse! E acredita, imaginação para criar novos mundos e personagens apaixonantes não lhe falta :)

    Boas entradas! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, essa é a opinião que ouço e leio por aqui... e agora comprovei um pouquinho: ela tem, realmente, uma imaginação fora do normal. Quero ler mais coisas.. urgentemente! O que me sugeres? beijocas

      Eliminar
  2. Olá Mary,
    Este livro não é bem a minha praia, mais pelo género.
    Mas ainda bem que gostaste.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois nem toda a gente gosta de fantasia e... fantasia urbana. Eu adoro! É o que me faz sentir realmente feliz quando leio :) Mesmo assim, passaste por aqui para ler a minha opinião :) obrigada <3 um beijinho grande

      Eliminar